Favorite films

  • The Woman Who Ran
  • Sex Is Comedy
  • No Way, Spider
  • Céline and Julie Go Boating

Recent activity

All
  • The Matrix Resurrections

    ★★★★

  • Drive My Car

    ★★★★★

  • Broken Embraces

    ★★★★★

  • Parallel Mothers

    ★★★★

Recent reviews

More
  • The Matrix Resurrections

    The Matrix Resurrections

    Os melhores momentos deste Matrix me fazem pensar nesse texto do Paul Preciado que imagino que Lana saiba de cor:

    "Não produza . Mude de sexo. Transforme-se no mestre de seu professor. Converta-se no aluno de seu estudante. Seja o senhor de seu chefe. Seja a mascote de seu cão. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimiga. Seja a cuidadora de sua enfermeira. Vá a uma prisão e recrie a cena central de A revolução dos bichos. Torne-se…

  • Drive My Car

    Drive My Car

    O que um gesto superficial (todo gesto é superficial mesmo que se transforme em outra coisa e daí nasce o teatro e depois o cinema) ou uma palavra (entonação, encadeamento com outras, gesto que a representa) diz sobre o mistério que é cada pessoa? Como vamos atuar a partir desse mistério? Como vamos transar? Como vamos dançar ou sermos incapazes de fazê-lo? Como vamos dirigir? Como vamos sobreviver? Seguindo, como recomenda Sonya, em Tio Vania.

    Dos melhores filmes que já vi na vida.

Popular reviews

More
  • Benedetta

    Benedetta

    Se o jesus de Pasolini era um revolucionário comunista gay possuído por um desejo demoníaco de transformação, o jesus de Verhoeven é homem e é mulher. Ele opera em uma via dupla ou, no mínimo, ambígua, só possível de ser emancipatória através da mulher mundana que o encarna. Ele é ao mesmo tempo o estigma como conexão, compreensão, proximidade e também punição (do conhecimento construído pela dor) mas também é a mulher apaixonada incontornável, louca, histérica - implodindo a neurose…

  • On the Beach at Night Alone

    On the Beach at Night Alone

    Hong Sang Soo viveu um dos lados dessa história. Inventou a solidão do outro. Um canalha. Um acerto de contas amoroso em público é o que ele merece. A exposição dentro da exposição que já é o próprio filme. O diretor. A atriz. Ela tem nome, ela experimenta, sonha com outra vida, abandona, confronta. Younghee. Que personagem é essa? Imensa. Quanta dignidade! Dela e das que a fortalecem em seu caminho. O homem, os homens, diante de todas essas que HSS filmou viraram quase nada. Uma espécie "sem disposição pra luta", como diria Rimbaud. Que filme! Um grande feito em 2017. Exposição radical. Filme radical. Obra-prima.