Two Lovers

Two Lovers ★★★★½

James Gray é um diretor que ao longo dos anos tem ganhado bastante relevância, alguns anos atrás sua parceria com Joaquin Phoenix rendeu filmes muito elogiados que acabaram se tornando muito queridos pelos fãs do trabalho do diretor. Essa foi minha primeira experiência assistindo um filme dele e devo dizer de antemão, que foi um dos melhores filmes que assisti esse ano.
O filme é baseado em um conto de Fiódor Dostoiévski, que apesar de eu nunca ter lido, sei que se trata de um romance trágico, mas confesso não saber o quanto a adaptação livre, escrita pelo próprio James Gray em parceria com Ric Menello tem em comum com o próprio conto.
Na trama seguimos um homem chamado Leonard (Joaquin Phoenix), logo na primeira cena, temos uma tentativa sem sucesso de suicídio do próprio, essa abordagem impactante já mostra que o filme trata da vida de um homem que está sofrendo bastante por algum motivo misterioso, o que já prende bastante a atenção do espectador. Somos então apresentados a outro personagem chave da trama, Sandra (Vinessa Shaw), uma jovem que aparentemente se apaixonou pelo Leonard, e que também faz parte de uma família judia como a dele, os pais de ambos inclusive possuem interesse em se tornarem sócios.
Leonard até mostra interesse recíproco em Sandra, apresenta pra ela seu hobbie de fazer fotografias de paisagens e explica a existência de uma foto de uma mulher em seu quarto, que por acaso é sua ex-esposa, a partir daí começamos entender que Leonard é um homem que sofreu uma forte desilusão amorosa e isso trouxe danos psicológicos severos pra ele — em uma cena os pais comentam que ele tem transtorno bipolar e em outra vemos ele tomando medicamentos.
Por último temos Michelle (Gwyneth Paltrow), vizinha de Leonard que ele conhece no dia seguinte, Leonard começa se sentir atraído e sair com ela, mas ao longo da trama descobrimos que ela é amante de um rico empresário e ex-dependente química, mas Leonard insiste que essa mulher é o amor de sua vida.
O filme segue através desse conflito, enquanto uma mulher o ama e promete trazer estabilidade para toda sua família, ele parece mais interessado em alguém que vai transformar sua vida completamente, para bem ou mal.
A direção e atuação desse filme são as chaves para que esse drama funcione tão bem, James Gray e Joaquin Phoenix entregam um personagem muito complexo e realista, um homem carente que quer encontrar seu lugar no mundo e preencher o vazio que um relacionamento conturbado deixou, testando até às últimas consequências para saber se fez a escolha certa ou não. Tenho também que elogiar bastante a personagem de Gwyneth Paltrow, o charme que ela consegue transmitir é o que liga esse fascínio tão grande do protagonista pela sua personagem.
Na conclusão do filme, temos um ciclo se fechando, se no inicio do filme o personagem tenta se matar pulando no mar, temos uma cena muito importante no mesmo cenário, só que ao invés de colocar o fim em tudo isso, nos deparamos com uma tentativa de renascimento.