Till Death

Till Death ★★★½

A montagem que abre o longa, intercalando planos contemplativos no carro com a discussão no hotel, baixou totalmente as minhas expectativas. É uma das piores que assisti no ano sem nenhuma dúvida.

No entanto, o filme se afasta dessa pegada cafona (que lembra muito os filmes da Natal da Hallmark) com o passar do tempo. É verdade que demora pra engatar, mas vai se transformando nesses passos lentos em uma mistura eficiente de sobrevivência, perseguição e revenge porn (às avessas, é claro).

Ainda que a Megan Fox não seja uma atriz brilhante, ela é peça decisiva nesse combo que trabalha muito bem com o suspense e com a contenção de cenários. E posso admitir que, depois de ver ela ser um mero objeto em tantos filmes, é bem interessante ver que ela pode segurar um longa cuja a proposta depende do público comprar a personagem e sua inteligência.

O final abraça algumas escolhas repetitivas, destoando de sua premissa que foge do comum, e perde um pouco da força. Entretanto, Till Death consegue se manter como um bom suspense de isolamento.

Daqueles baratos que passariam de madrugada na TV aberta, mas um bom suspense.