Favorite films

Recent activity

All

Recent reviews

More
  • Inglourious Basterds

    Inglourious Basterds

    Bastardos Inglórios é o meu filme predileto do Tarantino. Não é inovador como Pulp Fiction, nem tão maduro quanto Era uma vez em Hollywood, mas tem os melhores elementos Tarantinescos possíveis. 
    Tarantino nos coloca no seio da Segunda Guerra mundial, mas a partir de uma versão própria dos acontecimentos, uma espécie de expiação imaginária cheia de violência, momentos épicos e comédia.
    O auge do filme está no personagem elegante e sádico de Hans Landa, um vilão que marcou seu nome nos anais da cinematografia.

  • Looking for Eric

    Looking for Eric

    Ken Loach procura olhar, em sua cinematografia, para o cotidiano dos ingleses, principalmente os da classe trabalhadora. E não tem como falar da cultura britânica sem se deparar com o esporte mais popular do mundo, o futebol.
    O futebol é ontologicamente democrático. Para jogar não se é exigido um poderio econômico, basta uma bola e juntar uma turma. Dentro do campo, não existe superioridade de classe ou financeira, é um esporte que se destaca por sua potência emocional, que é…

Popular reviews

More
  • Us

    Us

    “Eu tenho inimigos, Cristian Ivanovitch, tenho inimigos; tenho inimigos cruéis, que juraram me arruinar..., respondeu o senhor Golyádkin com ar amedrontado e entre murmúrios” ( "O Duplo", de Fiodor Dostoievsky).

    A temática do doppelgänger se popularizou na literatura romântica do século XIX e encontrou campo fértil na arte cinematográfica, já que esta última abriu possibilidades estéticas propícias para a difusão da questão do duplo.
    O duplo é o sósia, a cópia. É aquilo que aparentemente é igual ao original, mas…

  • I'm Thinking of Ending Things

    I'm Thinking of Ending Things

    Estou pensando em acabar com tudo é uma obra surrealista. Isto precisa ser dito antes de qualquer outra coisa para que fique claro que a fruição do filme seja melhor acolhida. Só este fato já faz com que não seja um filme popular, porque Kaufman não gosta de entregar tudo facilmente para seus espectadores, apesar de que ele também não escondeu nada aqui. É preciso pensar as imagens e sons apresentados no filme para que tudo aquilo faça algum sentido,…