Favorite films

  • Rio Bravo
  • Heat
  • Touch of Evil
  • Le Cercle Rouge

Recent activity

All
  • The Boy Who Killed My Parents

    ½

  • The Girl Who Killed Her Parents

  • The Last Waltz

    ★★★★

  • Hard Boiled

    ★★★★½

Recent reviews

More
  • The Last Waltz

    The Last Waltz

    Só algo assim pra salvar o dia de merda que tive.

    Certo, logo no The Weight já estava completamente arrepiado, adentrando outra dimensão, mas admito ter derramado boas lagrimas no I Shall Be Released, interpretado simultaneamente por tantos gigantes do cenário musical do período. É mágico, e Scorsese, sabiamente, contém parte de seus malabarismos característicos, mantendo-se nessa posição espectatorial, aberta ao que presencia, na mesma linha de reverência de Uma Viagem Pessoal pelo Cinema Americano. Fica claro: é mais uma…

  • Hard Boiled

    Hard Boiled

    ★★★★½

    O segmento no hospital é uma das provas definitivas que toda locação, todo espaço, funciona unicamente quanto palco, e todos objetos de cena lá contidos servem ou como proteção ou como aumento de flexibilidade dos corpos compenetrados na dinâmica de tiroteios característica do cinema de Woo.

    Conforme a destruição se alastra por lá, cada um dos andares e cada uma das salas, é ressignificado mediante esse proposito elementar, de dinâmicas intuídas pelo desenrolar da ação, aparentemente livre e espontâneo, porém,…

Popular reviews

More
  • The Suicide Squad

    The Suicide Squad

    Apesar de deficiências majoritariamente ligadas ao sacrifício em prol do suposto dinamismo rítmico - um mal recorrente entre os “cineastas DJs” que figuram a atual Hollywood, onde cada sequência deve vir, necessariamente, acompanhada de uma respectiva música pop preexistente, somado aos movimentos de câmera desajeitados e adereços visuais, pra quem sabe manter a atenção do espectador nessa série de videoclipes – admito gostar do apreço de Gunn pelo grotesco, porque se mantém fiel a despretensão, sem descambar de vez para…

  • The Green Knight

    The Green Knight

    O cúmulo da precocidade imperativa que caracteriza o cinema contemporâneo.

    Jamais se concentra no momento presente, está sempre vislumbrando sua consequência, sua possibilidade, seguindo desconjuntado, mal engendrado. Não haver uma cena sequer que não seja sucessivamente interrompida por resquícios de uma próxima já demonstra a falta de interesse.

    Quem sabe seja uma tentativa de tornar a trama simplória mais chamativa por intermédio de premonições dentre o transe de tempos distintos se “complementando”. A óbvia consequência é perder a força de…